A Fundação José Carvalho

O profundo sentimento de gratidão de José Carvalho motivou-o, em 1975, à criação da Fundação José Carvalho, obra eclodida de sua inabalável vontade de retribuir todas as oportunidades que o País lhe proporcionou, notadamente, pelo acesso à educação gratuita e de primorosa qualidade, em todo o decurso de sua vida

Nascido de família pobre do interior de Minas Gerais, José Carvalho creditava o seu êxito no mundo dos negócios às inúmeras oportunidades recebidas como as instigantes convivências com grandes mestres brasileiros das diversas áreas do conhecimento. Assim, aos 44 anos, embalado pelo intenso desejo de debruçar-se sobre os complexos problemas da educação nacional, deu origem à Fundação José Carvalho (FJC), objetivando, com isso, assegurar que as mesmas chances dadas a ele se repetissem na vida de milhares de crianças e jovens carentes do Nordeste brasileiro. Para criar a Fundação, José Carvalho doou grande parte das ações que possuía da FERBASA, empresa que fundara aos 30 anos de idade e, alguns anos mais tarde, a Instituição tornou-se a acionista majoritária da Organização. Certamente, essa decisão mudou para sempre os rumos de José Carvalho, o qual empenhou mais da metade de sua vida profissional à Educação.

Hoje, com mais de 40 anos de atuação em projetos educacionais e substanciais efeitos amealhados, a Fundação atende a cerca de 4.000 crianças e adolescentes carentes do interior do estado da Bahia, mantendo, com recursos próprios, seis escolas dedicadas à educação básica, duas delas voltadas à educação do campo. Adicionalmente, inclui em sua plataforma de trabalho o desenvolvimento de outros projetos socioeducativos, concebidos sob diferentes linhagens, porém, basicamente planejados para oferecer, em regime de contraturno, atividades de reforço escolar aos alunos da rede pública.

Cinque Terre

O Fundador

A Instituição está aqui para ser imitada pelos
demais empresários ou, pelo menos, para
inspirá-los, a fim de que possam fazer algo
semelhante pelo ensino brasileiro. - José Carvalho Fundador

Dotado de singular humildade e profundo sentimento de patriotismo, José Carvalho acreditava, firmemente, no dever de gratidão do indivíduo em relação a quaisquer oportunidades propulsoras de vitórias alcançadas. Nesse sentido, para ele, o acesso gratuito à educação de qualidade, do ensino fundamental ao universitário, foi determinante ao logro de seu sucesso empresarial, comprometendo-se, ainda jovem, com a missão de retribuir essa mesma perspectiva às crianças e jovens carentes das zonas mais pobres do Brasil, tal como um dia ele também fora.

Embora tenha uma origem muito humilde, sempre foi uma das características de minha família, a importância dada à educação. Eu fui um sujeito extremamente ajudado pelo meio social, fui favorecido desde que eu era menino, até os dias de hoje, pois foi o Brasil que me deu tudo, me ajudando e me amparando em todas as etapas da minha vida e um dos valores que foram incutidos na minha vida foi o de gratidão, a pessoa deve ser grata. O que originou a FJC foi um grande sentimento de gratidão. Eu sou um sujeito extremamente patriota, eu gosto da minha pátria, não porque ela é grande, bonita e rica. Eu gosto da minha pátria porque ela é minha, é a que eu tenho.

- José Carvalho

O excepcional desempenho no curso primário rendeu a José Carvalho uma bolsa de estudos para dar seguimento a sua vida escolar no Rio de Janeiro, no Aloisianum, um Centro de Estudos e Formação de Padres Jesuítas que funcionava anexo ao Colégio Santo Inácio. Essa experiência exerceu extraordinária e definitiva influência em sua vida, conforme ele sempre ressaltava, especialmente por tê-lo confrontado com a filosofia grega e com a valorização da arte e da cultura em geral, conhecimentos que definia como indispensáveis ao despertamento e aprimoramento da sensibilidade no indivíduo. Posteriormente, em 1949, regressou a Belo Horizonte, onde concluiu o ensino médio para, em seguida, ingressar na Escola de Minas de Ouro Preto, graduando-se, no ano de 1955, em engenharia civil, de minas e metalurgia.


No começo de sua trajetória profissional, em 1956, após alguns meses de trabalho em uma mina de carvão no estado do Paraná, encaminhou-se para o Planalto Central, em plena efervescência da construção de Brasília, onde inicialmente atuou como fiscal da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil - NOVACAP. Em seguida, constituiu sua própria construtora, a J. Carvalho, especializada na construção de pontes, muros e viadutos.


Aos 30 anos de idade (1961), após analisar as ocorrências de cromo na Bahia e apostar na expansão do mercado de inox no Brasil, fundou a Cia. de Ferro Ligas da Bahia - FERBASA, em Campo Formoso-BA, para atuação no ramo da mineração; dois anos depois, inaugurou a planta metalúrgica da Empresa na cidade de Pojuca/BA, destinada à fabricação de ligas de cromo, elementos indispensáveis à composição do aço inox.


Quinze anos após a fundação da FERBASA, que já figurava como expoente nacional nos ramos da mineração e metalurgia, José Carvalho, aos 44 anos, decidiu consolidar o seu sonho e doou grande parte das ações que possuía da Companhia à Fundação. Este foi primeiro passo para, mais tarde, a Instituição tornar-se a acionista majoritária da Companhia, condição fundamental à garantia da sustentabilidade, em longo prazo, dos trabalhos educacionais assumidos pela FJC.


Excepcionalmente entusiasmado com a Educação, José Carvalho também alimentava a esperança de ser imitado por outros empresários, confiante de que tais lideranças pudessem ser influenciadas por essa atitude de vanguarda, tomada quando a difusão do conceito de responsabilidade social ainda era inexpressiva no Brasil, assim como as fundações e os demais investimentos privados do terceiro setor se constituíam em movimentos isolados. Enfim, idealizava o reconhecimento da Educação como o elemento-chave para o desenvolvimento consistente do País, bem como almejava a conscientização de seus grandes líderes quanto ao poder que detinham para protagonizar essa transformação.

Morrer rico é falta de imaginação

- José Carvalho

Esse marco foi muito além do desprendimento material de José Carvalho, pois, dali em diante, a sua labuta diária passou a ser inteiramente dedicada à perenidade da Fundação e à tentativa incansável de encontrar soluções para a causa educacional brasileira. Desde então, o mundo dos negócios tornou-se apenas um meio para a concretização e a manutenção de uma tarefa mais dignificante.

Até os seus últimos dias de vida, ignorando os efeitos cruciais das enfermidades, alheio as suas lancinantes limitações, José Carvalho, ainda movido por uma tocante persistência em prol da Educação, jamais deixou de, arduamente, debruçar-se sobre as diversas formas e metodologias de ensino ou de percorrer as mais remotas localidades do Nordeste, convencendo-se, cada vez mais, de que a oportunidade por ele recebida precisava ser efetivamente retransmitida a milhares de alunos, mediante os serviços ofertados pela Fundação, transformando o seu sentimento de amor ao Brasil em ações de relevantes impactos sociais./p>

Nossa História

1931

José Carvalho nasce no dia 11 de janeiro, na cidade mineira de Abadia (atual Martinho Campos).

1945 a 1947

José Carvalho é contemplado com uma bolsa de estudos do Colégio Aloisianum - Rio de Janeiro, dedicado à formação de lideranças sacerdotais.

1949 a 1955

Nesse período, José Carvalho ingressa na Escola de Minas de Ouro Preto (MG), para graduar-se em engenharia de mina, metalurgia e construção civil; e cria, em 1955, a Construtora J. Carvalho Filho, atuando na construção de viadutos, avenidas e muros.

1956

Na Cia C. Cambuí – Paraná, José Carvalho assume o seu primeiro emprego como engenheiro de minas.

1956 a 1960

José Carvalho chega ao Planalto Central, no dia de Natal, para atuar na construção de Brasília, onde participou da edificação de viadutos, avenidas e muros, inclusive o que circunda a Praça dos Três Poderes.

1961

José Carvalho funda a Companhia de Ferro Ligas da Bahia - FERBASA, em Campo Formoso (BA).

1963

A FERBASA consegue aprovação de financiamento junto à SUDENE (Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste) e inicia a construção de sua fábrica em Pojuca/BA, destinada à produção de ferroligas de cromo.

1975

José Carvalho institui a Fundação José Carvalho, com o propósito de oferecer educação gratuita de qualidade para crianças e adolescentes carentes do Nordeste.

1978

Implantada a primeira escola da FJC, o Colégio Técnico, em Pojuca/BA.

1979

José Carvalho publica sua obra literária, O Protótipo, no qual revela a sua natureza humanística e o apreço pela educação.

1987

Implantada a segunda unidade educacional da FJC, a Escola Maria Carvalho, também em Pojuca (BA). Nesse mesmo ano são abertas as Escolas Márcio Seno, em Andorinha (BA) e a Rural Tina Carvalho, em Entre Rios (BA).

1989

Inaugurada a escola que leva o nome da sua filha Denise Carvalho, falecida em 1987.

1990

Nasce a Escola Rural Rolf Weinberg, em Mata de São João (BA).

1996

A Presidência da República concede a José Carvalho o título de Comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico.

1999

José Carvalho é empossado como membro da Academia Baiana de Educação.

2000

A Academia Baiana de Educação agracia José Carvalho com o título de Educador do Ano.

2011

É comemorado o 50º aniversário da FERBASA e os 80 anos do Instituidor. O evento marcou ainda a reedição comemorativa de sua obra literária, O Protótipo.

2015

Considerado uma das mais importantes referências empresariais e educacionais do Brasil, morre o engenheiro-educador José Carvalho, aos 84 anos, de causas naturais, deixando um expressivo legado que permeia toda a sua obra e projetos desenvolvidos pela FJC.

Investimentos que transformam

Anos trabalhando
com educação
Matrículas anuais
Empregos diretos
 
Milhões de reais investidos
anualmente em educação
Escolas próprias
Projetos
socioeducativos

Conselho curador

Chanceler

Marta Teixeira Barroso Fernandes

Presidente

José Ronaldo Sobrinho

Conselheiros

Armando Bento Chagas

Bárbara Klein de Araújo Carvalho

Geraldo de Oliveira Lopes

Hulda de Souza Galvão

Maria José de Oliveira

Davi Lopes Perez

Pedro Barbosa de Deus

Selma Diniz Andrade Vaccarezza

Sérgio Curvelo Dória

Conselho Fiscal

Conceição Celeste Lima

José Luiz Pucci

Marcos Alberto Almeida Santos

Estrutura Organizacional

Tatiane Gubert

Diretora Administrativa
Administrative Director

Weber G. Fogagnoli
Gerente Administrativo Financeiro

Financial Administrative Manager

José Santos Souza
Controller

Controller

J. Augusto Almeida
Gerente de Gestão Integrada

Health Safety Environmental Manager

José Raimundo Souza Filho
Gerente Laticínios

Tina e Rolf Dairy Plant Manager

Jorge Guimarães
Gerente de Logística e Leite

Logistics and Milk Manager

Diolgo Fadini
Gerente Rolf Park

Rolf Park Manager

Rosely Machado

Diretora de Educação
Director of Education

Jeanne Pinheiro
Gerente do Núcleo Pedagógico

Pedagogical Commitee Manager

Geraldo Sá Barreto
Assessor Educacional

Education Advisor

Gerusa Ferreira
Diretora Colégio Técnico

Colégio Técnico Principal

Hildete Guimarães
Diretora da Escola Maria Carvalho

Escola Maria Carvalho Principal

Rita Campos
Diretora da Escola Denise Carvalho

Escola Denise Carvalho Principal

Hygilda C. Bastos
Diretora da Escola Rural Rolf Weinberg

Escola Rural Rolf Weinberg Principal

Cristiane Almeida S. Costa
Diretora da Escola Rural Tina Carvalho

Escola Rural Tina Carvalho Principal

Ciro Araújo Reis
Diretor da Escola Márcio Seno

Escola Márcio Seno Principal

Rivanda Chagas Filha
Diretora de Projetos Socioeducativos

Socio Educational Projects Director

Parceiros


EMBRAPA

Unidas pelo objetivo primordial de disseminar práticas mais eficientes e sustentáveis para a agricultura familiar, a Embrapa encontrou na Escola Tina Carvalho o ambiente propício para fazer com que as pesquisas e as novas tecnologias chegassem às comunidades carentes da zona rural, permitindo o acesso dos agentes envolvidos a materiais de qualidade superior, além do aprimoramento das técnicas agrícolas, prioritariamente, da mandiocultura e das fruteiras ornamentais. Iniciada em 2009, essa parceria perdura até os dias atuais e opera na implantação de unidades experimentais, tanto nas áreas de cultivo da própria Escola, como nas comunidades onde residem as famílias dos estudantes, para as quais são distribuídos materiais geneticamente melhorados. As respostas desses trabalhos são monitoradas, quantificadas e comparadas com indicadores da EMBRAPA.


GOVERNO ESTADUAL DE PERNAMBUCO

No ano de 2003, em parceria com a Fundação Vitae, a Fundação atendeu com entusiasmo ao convite do Governo de Pernambuco para intervir na reforma física da Escola Manuel Gomes de Sá – Jatobá/PE. Atualmente, essa parceria é formalizada por meio de um convênio firmado entre as duas instituições, para suprimento da mão de obra exclusiva do modelo. A Escola atende, anualmente, a cerca de 300 alunos dos anos iniciais e finais do Ensino Fundamental, provenientes do município de Jatobá – PE e de localidades circunvizinhas. Em consonância com as características locais e respectivas demandas, parte dos alunos é mantida em regime de alternância, enquanto os demais admitidos obedecem a critérios idênticos aos adotados pelas escolas regulares, cumprindo a jornada escolar convencional.


ESPORTE CLUBE BAHIA

A parceria é resultante da convergência dos sonhos das duas instituições: o do ECB em disseminar a prática esportiva do futebol para alunos carentes; e o da Fundação, em ampliar o seu atendimento através de projetos de contraturno escolar visando prestar atendimento a alunos da Rede Pública municipal de Pojuca/BA. O convênio foi formalizado em 2016 e, em 2017, deu-se início ao Programa Um Campeão na Escola, com 88 alunos situados na faixa etária de 8 a 9 anos.


TOPO
TOPO